Mamíferos – Uma jornada de altos e baixos!
29 de junho de 2018

Mamíferos – Uma jornada de altos e baixos!

Os mamíferos experimentaram duas etapas de evolução durante o tempo geológico, a primeira menos efetiva se deu no Mesozoico, quando os animais não chegavam a 15 quilos, tinham hábitos noturnos e se alimentavam essencialmente de insetos. A segunda inicia-se no Cenozoico, há 65 milhões de anos, exatamente após a extinção dos dinossauros, quando o número de espécies de mamíferos caminha para alcançar níveis consideráveis.

Além da diversificação quantitativa nesta segunda etapa, percebeu-se também uma mudança na estrutura corporal dos mamíferos. Devido ao hiato deixado após a extinção dos dinossauros e dos grandes répteis, os nichos ecológicos passaram a ser ocupados pelos grandes mamíferos. Uma contribuição para o sucesso adaptativo dessa classe estava relacionada com sua capacidade de regular a temperatura corporal através do metabolismo.
MASTODONTE - Itamar Bezerra (75) Heli

É notável a diminuição de espécies da classe mammalia desde os últimos 50 milhões de anos, tanto em quantidade quanto em tamanho. Quais seriam os motivadores dessa atenuação? Os grandes Mastodontes baianos conviveram durante aproximadamente 3 mil anos com os humanos, em um ambiente de glaciação intensa e com baixa disponibilidade de alimentos. Fica a pergunta, o ambiente ou a presença dos humanos em busca de sobrevivência tiveram protagonismo sobre essas extinções?

Aqui no Museu Geológico da Bahia, além do Mastodonte, vocês poderão apreciar os registros dessa mega fauna que marcou o tempo na Terra!

Venham ao Museu e sintam o passado na palma da mão.

Busca
Escolas

Agende a sua visita.

100_3478c
Tour Virtual

Descubra o acervo do Museu, com uma visita virtual.

DSC03696 b red